Funny Games: ''Shall we begin?''

12:33:00 Cinema's Challenge 0 Comments



Apesar de ser um remake, o trailler já faz com que seja um dos filmes mais aguardados. Pois, como já há muito não acontecia chega ainda este Verão um filme de terror que não usa o estílo "gore", mas, sim, "terror psicológico".

Funny Games“, de Michael Haneke, tece uma espécie de alegoria sobre a trivialidade da violência, que actualmente se tem visionado e como grande exemplo temos a saga "Saw's" e "Hostel's" (apesar do filme de Haneke ser mais voyerista e não puro "gore" hediondo como a saga "Saw's" ou torture porn como os Hostels).

A história narra as férias de um casal (Naomi Watts e Tim Roth) e o seu filho que são "aprisionados" pelos seus vizinhos, dois jovens (Michael Pitt e Brady Corbet) que iniciam uma série de agressões sem razão aparente para tais acções, mas ao que parece apenas por pura diversão, como uma espécie de jogo ( fazendo jus ao título - "Funny Games"). Tanto que os vilões usam a expressão "Shall we begin?" com um tom de gozo e naturalidade entre outras músicas conhecidas de jogos que tautareiam ao longo do filme.

Como já acima foi mencionado, este thriller trata-se de um remake e por isso mesmo que não será a primeira vez que Haneke contará esta história, já que a mesma é baseada (sendo uma reposição literal) num filme seu de 1997, com o mesmo nome.

Os actores apesar de não serem dos mais conhecidos, para quem presta um pouco mais de atenção ao mundo do cinema certamente conhecerá Michael Pitt de "Sonhadores", por exemplo, e também os outros actores de filmes anteriores, principalmente Naomi Watts. Dou ênfase ao facto de Pitt ser uma escolha bem interessante, os próprios traços do actor dão uma certa força à narrativa e personagem desejadas que talvez o filme de 97 não conseguiu alcançar.

Penso que pelo facto de o tipo de terror ser completamente antagónico ao que nos é apresentado ultimamente é um factor que faz com que este valha a pena. Revelando-se assim também uma espécie de sátira aos actuais géneros "gore", ou seja violência explícita que nos é apresentado, apostando mais numa pressão dos nosso medos, deixando o público dar asos à sua imaginação, tornando, com isto, num terror mais intimista. Tendo ainda a mordaz e arrepiante quebra da "fourth wall", insinuando ao público que eles sabem que eles estão a assistir e que também eles [os espectadores] são voyers.

Devo ainda assinalar, que apesar de não ter visto por completo o filme de 1997, comparando com os vilões deste remake, penso que Michael Pitt e Brady Corbet dão mais força e mostram mais loucura nestes papéis o que melhora bastante o filme, visto que estas personagens são a as causadoras de todo os episódios que se seguem.
No entanto, na minha opinião não é um dos melhores "horror films", que ja vi. Mas, também depende um pouco da prespectiva com que se percepciona o mesmo.
Trailler do Filme (remake-2008):



Trailler do filme (original-1997):


P.S:. Republicação da crítica, algumas das que estão a ser passadas para o blogue não estão a ser republicadas, por isso, caso tenham curiosidade, visitem o separador, do lado direito, 'críticas'.

0 comments:

May the force be with you!