Realizadores que entram nos seus próprios filmes

09:36:00 Cinema's Challenge 6 Comments

Existem os só realizadores, existem os realizadores-autores (aqueles que escrevem também o argumento) e existem os realizadores-actores (aqueles que entram nos seus próprios filmes). No entanto, ao longo dos anos tem surgido uma espécie ainda mais polivalente: os realizadores-autores-actores, como lhes gosto de chamar. Mas, quando falo deste conceito, não falo daqueles que começaram por representar e depois lembraram-se de dar "umas cartas" na realização só porque é giro. Falo de realizadores que frequentemente entram nos seus próprios filmes, os quais, na maioria dos casos são também escritos por eles. Isto é de actores já consagrados neste triplo papel. Desta lista, fazem parte caras bastante conhecidas de Hollywood, que actualmente são reconhecidos pelo sucesso do seu trabalho. Mesmo que na maioria dos casos no que diz respeito à representação não sejam grande coisa, conseguem compensar nos outros dois papéis que desempenham - como realizadores e como argumentistas.

Neste sentido, deixo-vos aqui uma lista de alguns dos nomes mais importantes do cinema contemporâneo, que obedecem a esta prática. Se se lembrarem de mais algum, façam o favor de o indicarem.


Woody Allen 

Além de ter escrito e realizador imensos filmes, um por ano mais exactamente desde 1966, Woody Allen conta com já muitas participações nos seus filmes, ora como co-protagonista, ora como o próprio protagonista. Alguns exemplos disso é o seu afamado "Annie Hall", "Manhattan", "Bananas" e o seu mais recente filme "To Rome with Love".


Quentin Tarantino

A sua filmografia pode não ser tão extensa como a de Allen, mas tem certamente motivos para estar orgulhoso, ou os seus filmes não seriam tão esperados e adorados pelo público em geral. No entanto, mesmo dando um pezinho nas suas películas, Quentin Tarantino opta por ser mais "discreto", aparecendo apenas numa ou outra cena. Não sendo por isso uma das personagens mais relevantes nos seus filmes, arrisco mesmo a dizer que o faz apenas por "gozo" e não por protagonismo. Para terem ideia, basta recordar filmes como "Pulp Fiction", "Reservoir Dogs", "Death Proof", entre muitos outros.

Clint Eastwood

Começou o seu trabalho como realizador em 1971, mas foi bem mais cedo, em 1955, que deu os primeiros passos na representação. Ao longo da sua carreira foi também produtor de vários filmes. Contudo, não é muito dado à escrita e por isso apenas se tem ficado pelo papel de realizador-actor, descurando das funções de argumentista. Mas como é um nome de peso, mesmo que não desempenho o triplo papel, decidi referi-lo nesta lista pela sua elevada qualidade tanto como realizador e tanto como actor. Apesar disso, é bem lembrado pelo seu duplo papel e tem conquistado novos seguidores dos seus filmes. Alguns dos mais polémicos e conhecidos: "Gran Torino", "Million Dollar Baby" e "Unforgiven".

Dennis Hopper

Além de actor, Dennis Hopper foi fotografo, escultor e pinto, antes de dar os primeiros passos na realização. Depois disso, apesar de não ter feito grandes filmes foi fazendo alguns ao longo dos anos. 
É sobretudo conhecido pela sua tripla prestação como realizador, argumentista e actor em "Easy Rider" e "The Last Movie", sendo que nos restantes foi apenas actor-realizador;exemplo: "Out of the Blue". É, todavia, mais reconhecido no papel de actor do que no de realizador, mesmo depois de ser responsável pelo sucesso de "Easy Rider".

José César Monteiro

O controverso cineasta português foi um dos elementos do grupo de jovens que se lançou com o chamado "Novo Cinema". Já falecido, era um homem de muitos talentos no que toca ao cinema: escrita, representação, crítica e realização foram as suas grandes paixões. Foi com a vida que aprendeu a fazer cinema, sendo irreverente e mordaz nas suas críticas integradas nos seus filmes. De muitos filmes, são de recordar alguns como "Recordações da Casa Amarela" e "A Comédia de Deus".

Julie Delpy
Primeiro a francesa foi actriz, depois fez as suas experiências atrás da câmara e apercebeu-se da sua paixão pela realização. Cantora, actriz, realizadora e escritora, Julie Delpy ganhou nome no mundo do cinema nos últimos anos, sobretudo pelo seu estilo cómico-trágico muito próximo do de Woody Allen. Começou por ser conhecida pelos lados de Hollywood pelo seu papel em "Before Sunrise", seguido do de "Before Sunset". Mas foi com outros três filmes que se considera que Delpy se tenha consagrado no papel de argumentista-actriz-realizadora: "Le Skylab", "Two Days in Paris" e "Two Days in New York".

6 comentários:

  1. Boa ideia. De facto, esta polivalência é, nestes casos, mais do que evidente - espelha o sentido de autor, de coerência e controle que o criador quer da sua obra. Muitas vezes é mais fácil assim.

    Acrescentaria, e para além dos que o Chico referiu, o Buster Keaton e o Orson Welles. Depois sempre temos o Polanski (que chegou a participar num ou noutro, especialmente no The Tenant como protagonista), e o caso particular de Hitchcock, que a bem ver participou em praticamente todos os seus filmes, com os seus cameos ahahah.

    Cumprimentos,
    Jorge Teixeira
    Caminho Largo

    ResponderEliminar
  2. Espero bem que esta lista seja revista e aumentada. tens conhecimentos para fazer melhor ;)

    ResponderEliminar
  3. Para já ficou esta amostra, sabes que o tempo não é muito ;)

    Conto com a vossa ajuda para a ampliar.

    ResponderEliminar
  4. :) ok. Então aqui ficam alguns que me lembro assim de repente: Takeshi Kitano, George Clooney, Vincent Gallo, Martin Scorsese e François Truffaut. Estes dois últimos são um pouco como o Hitchcock, geralmente só têm pequenos cameos.

    ResponderEliminar
  5. Excelente a perspectiva e observação deste artigo: realizador-autor-actor!

    Woody Allen e o Clint Eastwood, são realmente fortes nisso. E os restantes foram bem mencionados, especialmente a Julie Delphy.

    Os nomes que poderia acrescentar, já foram mencionados mas seguem mais estes:

    - Josh Radnor (este um puro realizador>autor>actor dos seus filmes "HappyThankYouMorePlease" e "Liberal Arts")
    - Spike Lee ("Summer of Sam", "Malcolm X", "Do the Right Thing", etc)
    - M. Night Shyamalan ("Lady In The Water", "The Happenning", "The Village", "Signs", etc)

    e ainda subvertendo um pouco, posso sempre relembrar casos como este:
    - a Jennifer Westfeldt (a esposa de John Hamm, que é argumentista, fez-se actriz e agora também realizadora: ex "Friends With Kids");

    Pronto, ficam alguns nomes...

    ResponderEliminar

May the force be with you!