Hitchcock - O Mestre do Suspense

21:51:00 Cinema's Challenge 2 Comments


Odiado por alguns, amado por muitos, Alfred Hitchcock é/era conhecido pelo seu humor negro peculiar, pelos curtos cameos nos seus próprios filmes e pelo suspense que tão bem sabia proporcionar no coração do público, à sua maneira tão especial, em cada uma das suas obras. Era também o cineasta que tinha um especial fascínio pela morte, pássaros e mulheres louras. Tinha medo de ovos, sem explicação. Era a silhueta inconfundível e a voz provocadora que esteve presente em muitos dos seus criativos anúncios de thrillers. Com uma forma inovadora de editar as suas películas, embora simples tecnicamente, o realizador, de muitas grandes obras entre as quais «Vertigo» e «Psycho», pensava e filmava cada cena de modo a provocar ansiedade, medo e, ou até, empatia junto do espetador. Manipulador, mas de uma forma positiva, o mestre do suspense nunca filmou uma única cena sem meticulosamente pensar na melhor forma de a executar, numa relação de “gato-rato” - entre o público, narrativa/desfecho. Tanto que o mesmo tinha “medo” dos seus próprios filmes, como confessou numa entrevista em 1963: “I’m frightened of my own movies. I never go to see them. I don’t know how people can bear to watch my movies”. O medo ilógico, fobia, injetado habilmente em cada película era o seu grande trunfo: “But what is logic? There’s nothing more stupid than logic.”. A sua audácia e humor negro inteligente eram inconfundíveis e apreciados por muitos, mas também por vezes receado por outros que naquela era tinham alguma dificuldade em aceitar a sua genialidade, vista como neurótico. Walt Disney foi um desses exemplos, recusando-se inclusive a trabalhar com o realizador por essa razão... Hitchcock nunca foi um cineasta sério. Fazia questão de o mostrar; numa cerimónia dos Oscares, fez o mais curto discurso da história do cinema com um «Thank you!» em resposta ao desprezo da academia em o galardoar. Apesar de brilhante, Hitchcock nunca chegou a ganhar um Oscar de Melhor Realizador. Essa foi uma das muitas vezes que a academia não reconheceu convenientemente um dos maiores cineastas da história do cinema (apenas o seu filme «Rebecca» ganhou na categoria de Melhor Filme). Porém, felizmente, temos toda uma extensa obra para apreciar - e comprovar por nós mesmos o seu valor inquestionável enquanto realizador - que a cada repetição de visionamento se torna mais rica, com castings sempre soberbos e histórias de nos fazer bater o pé devido ao nervoso miudinho que tão bem «O Mestre» soube sempre criar dentro de nós...Seja com o simples «The Rope» passado numa única divisão ou o mais amplo «Birds», todos os seus filmes são um pedaço de arte que valem a pena apreciar e guardar!

Escrito originalmente para a Revista SPOT.

2 comentários:

  1. Hitchcock é o meu realizador preferido de sempre. Em miúdo não gostava. Achava uma seca. Felizmente dei oportunidade quando ganhei juìzo. Hoje nâo consigo escolher um filme. Teriam de ser uns 15 preferidos. E mesmo assim amanhã já seriam outros. Intemporal, inimitável, copiado sem sucesso... O maior!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, João, é também um dos meus realizadores preferidos, sem dúvida. Difícil de não perceber o seu cunho em cada um dos seus filmes, é daqueles realizadores que conseguimos perceber que x filme lhe pertence.

      Eliminar

May the force be with you!